Será que poderás, alguma vez, tratar-me por tu?

Voltarei a sentir o tempo parar e passar depressa demais ao mesmo tempo, como quando partilhamos o mesmo espaço? Interrogo-me isso agora, enquanto te admiro em silêncio. Agora, quando os nossos olhares cruzam-se por meros segundos e tu sorris, e os teus olhos brilham como o céu num domingo de Verão. Voltarei a ter a paz de espirito que me traz falar contigo? Ser eu mesmo, sem medo de ter que ser outro, ouvir-te e desejar nunca parares de falar… Se te perguntares como tive coragem de te escrever isto tudo, e porque agora, saibas que a resposta esta na … Continue reading Será que poderás, alguma vez, tratar-me por tu?

Deixei-me ir completamente

Deixei-me ir completamente. Bati no fundo, cheguei ao ponto máximo de desespero, e com os olhos fechados, imaginei um mundo sem mim. “Quem é?” ouve-se doutro lado. Havia tantas coisas para serem ditas, tantas promessas para serem feitas, mas por alguma razão, não consegui fazer mais do que ficar ali, parada a frente da porta fechada, desejando que ninguém a abrisse. E de repente assentou-se, bem intrínseco em mim, uma vontade de correr sem destino… Continue reading Deixei-me ir completamente

Desperately running on the streets of Istanbul

Last night I was there. I was one of them.      By a wicked idea of my aunt, me and my family seemed to be on holidays in Turkey , in the middle of Istanbul. Morbid curiosity, you might think, but not so.They didn’t even step outside the hotel, as they were in this magic bubble, looking at the collapse like it was on TV.  Me and my cousin were the ones outside. The only ones who felt it all happening.      Was around dinner time when we had the idea of looking around. Walking the streets, I … Continue reading Desperately running on the streets of Istanbul

Capitais económicos e culturais irrelevantes

Desde Marx, até Simmel e Bourdieu, a importância do capital estive sempre presente como preocupação fulcral da nossa sociedade. Seja o económico (o único importante na visão marxista), o social ou o cultural (Escola de Chicago e seu legado e seguidores), no que todos concordam é que é a base do capital que os indivíduos interagem em sociedade. Bourdieu vai ainda mais longe, afirmando que os próprios gostos são construídos socialmente, dependendo estritamente do capital dos indivíduos. A seguinte experiência fez-me duvidar da linearidade desta concepção. Indivíduos com um capital cultural elevado, mesmo com um presumível capital económico razoavelmente alto, … Continue reading Capitais económicos e culturais irrelevantes

Alien Encounter (to be continued…maybe)

In the last few days many strange things had happend in the little and otherwise calm town,Almada, As a respected investigation journalist that I am, I was immediatly called in, to see what was going on. Of course I knew that somebody had to have some previously made ideas about what we were dealing with, otherwise I wouldnt be bothered. I know by experience that they only need me when serious stuff happend.I am not that cheap,you know.. But lets go back to the real issue, the strange things happening afterwards. Monday morning, around 09AM, as I was getting my … Continue reading Alien Encounter (to be continued…maybe)